Translate       Traducir    
Boletim de Notícias
Boletim Eletrônico - N° 605
  
RECEBA AS NOTÍCIAS POR E-MAIL Cadastre seu E-mail
linhagrossa
Faça uma homenagem ao seu Pet, acenda a Chama da Recordação, clique aqui.
 
Fotos de militares com cão decapitado causam repúdio no Equador

Vestidos com uniformes camuflados, soldados sorriem ao mostrar o animal morto no Equador. Foto: La República/Reprodução

Vestidos com uniformes camuflados, soldados sorriem ao mostrar o animal morto no Equador
Foto: La República/Reprodução
 
Fotos divulgadas em redes sociais mostrando militares do Equador com o corpo decapitado de um cachorro geraram grande indignação em todo o país e no próprio Exército, que anunciou nesta quinta-feira que vai punir os responsáveis. Nas imagens, podem ser vistos soldados vestidos com uniformes camuflados sorrindo enquanto posam com o corpo do animal e sua cabeça.

'Os envolvidos nesse lamentável caso já identificados (...) estão sendo investigados e serão punidos de acordo com as regras de disciplina militar sem menosprezo às medidas legais que da justiça comum', ressaltou hoje o Exército equatoriano em um breve comunicado. As imagens foram postadas no Facebook por José David Guamán Pichasaca, que pediu desculpas por tê-las divulgado, já que 'não guardam relação com a política da instituição' à qual presta serviço.

O homem disse que elas se devem a 'um fato infantil provocado por um companheiro que em algum momento não mediu as consequências que poderiam causar'. A ONG equatoriana Amigalitos solicitou hoje à Defensoria Pública que abra uma investigação e, 'se for o caso, emita a sanção correspondente' contra os militares, segundo destacou em comunicado.

A Amigalitos afirma que os militares 'através das redes sociais se vangloriam do sacrifício e a posterior ingestão da carne do cachorro, animal de estimação que foi parte de seu treinamento militar'. Já segundo o Exército, esses soldados 'em atividades fora de instrução, em um lugar isolado, executaram um fato atroz como a decapitação de um cachorro', por isso a instituição 'expressa total rejeição e repúdio a esse ato de barbárie que atenta contra as normas e políticas institucionais'.


Fonte: Terra Notícias - Publicado neste site em 16/04/2012