Translate       Traducir    
Boletim de Notícias
Boletim Eletrônico - N° 405
  
RECEBA AS NOTÍCIAS POR E-MAIL Cadastre seu E-mail
linhagrossa
Faça uma homenagem ao seu Pet, acenda a Chama da Recordação, clique aqui.
 
Japoneses criam novo robô cão-guia para deficientes visuais

Patas do guia de robótico agora têm articulações, o que permite movimentos mais rápidos, quase na mesma velocidade dos feitos pelo humano que .... Foto: YouTube/Reprodução
'Patas' do guia de robótico agora têm articulações, o que permite movimentos mais rápidos, quase na mesma velocidade dos feitos pelo humano que acompanha a máquina
Foto: YouTube/Reprodução


Os japoneses da NSK apresentaram em outubro a terceira versão de seu robô cão-guia. Ainda sem nome, o equipamento é voltado a ajudar pessoas com deficiência visual, assim como os animais de carne e osso, segundo o Plastic Pals.

Entre as melhorias apresentadas com o terceiro protótipo destaca-se o uso de sensores do Microsoft Kinect para identificar obstáculos e escadas. Em relação aos degraus, outra benfeitoria foi na forma de movimentação das 'patas' do cão-guia robótico, que agora tem articulações. Assim, o 'animal' sobe e desce com mais agilidade - quase a mesma do humano que o acompanha. O sistema antigo, mais lento, funcionava como espécies de garras e mecanismo de 'escalada'.

O novo sistema não interfere na tecnologia das rodas, implantadas no segundo protótipo, que garantem velocidades de até 3,7 km/h em terrenos planos. Fazer curvas também é simples, graças ao mecanismo que permite rotacionar os membros em qualquer direção - esse, uma novidade da terceira versão.

O cão-guia de metal apresentado em outubro ainda tem como destaques o sistema de reconhecimento de voz, para que o robô seja comandado pelo dono. 'Coleira' mais comprida e sensores de impacto nas 'patas', para evitar colisões, completam a lista de melhorias.




Embora o robô seja bem mais devagar do que cachorros de verdade, o Plastic Pals considera opções tecnológicas que poderiam fazer das máquinas companheiras eficientes em alguns casos. A implantação de orientação através de GPS e mapas online, por exemplo, viabilizaria ao deficiente visual 'programar' o cão-guia robótico para, além de evitar obstáculos, indicar o caminho seguir e onde parar.

O primeiro protótipo, o NR001, foi desenvolvido em 2005, por uma equipe de engenheiros recém-graduados pela Universidade de Eletrocomunicações, no Japão, mesmo grupo que apresentou, em 2007, a segunda versão do robô. Para 2020, os japoneses pretendem que o robô já seja vendável.


Fonte: Terra Notícias - Publicado neste site em 15/11/2011