Translate       Traducir    
Boletim de Notícias
Boletim Eletrônico - N° 33
  
RECEBA AS NOTÍCIAS POR E-MAIL Cadastre seu E-mail
linhagrossa
Faça uma homenagem ao seu Pet, acenda a Chama da Recordação, clique aqui.
 
Cães reais ensinam cachorro-robô da Google a andar
Mosquitos transmitem doenças graves a pets e veterinária alerta para eliminação de criadouros
Em decisão histórica, cidade chinesa proíbe consumo de cães e gatos
Cidade chinesa de Shenzhen proíbe comer cães e gatos após covid-19
Mercados chineses voltaram a vender morcegos, cães e gatos
Covid-19: Como manter a rotina do meu cão durante o isolamento?
Espanhóis usam cães como salvo-conduto para sair de casa
Gato na Bélgica é primeiro felino a testar positivo para coronavírus
Cachorros são treinados para detectar coronavírus pelo faro na Inglaterra
A ansiedade de seu cachorro pode estar associada com a raça, diz estudo
a2f0e; text-align: left; '>27/01/2011 - CÃES DE ALUGUEL - Justiça julga procedente ação contra empresa de locação de cães

O Juízo da 17ª Vara Cível de Curitiba julgou procedente ação civil pública proposta pela Promotoria de Justiça do Meio Ambiente, em 2008, referente à locação de cães de segurança. A Justiça determinou que a ré da ação, a empresa Dog Seg Serviços de Segurança Ltda, está proibida de prestar este serviço, sob pena de multa diária de R$ 10 mil. A decisão é de outubro de 2010, mas o Ministério Público só foi notificado nesta semana. Na sentença, o Juízo destaca: “A atividade econômica não pode ser exercida em desarmonia com os princípios destinados a tornar efetiva a proteção ao meio ambiente”.

Na ação proposta em 2008, o MP-PR alegou que a empresa não possui alvará de licença e tampouco autorização ambiental para continuar com a prática de locação de cães para segurança. O Ministério Público, em conjunto com a Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente e a Vigilância Sanitária de Curitiba, também compareceu a locais denunciados e verificou maus-tratos a animais, como privação de alimentação e água, falta de assistência à saúde e aprisionamento de cães grandes em caixas de pequeno porte. O responsável pelo caso é o promotor de Justiça Sérgio Luiz Cordoni.


Informações para a imprensa com:
Patrícia Ribas / Jaqueline Conte
(41) 3250-4228 / 4226



Fonte: Ministério Público do Estado do Paraná  - Publicado neste site em 30/01/2011