Translate       Traducir    
Boletim de Notícias
Boletim Eletrônico - N° 1451
  
RECEBA AS NOTÍCIAS POR E-MAIL Cadastre seu E-mail
linhagrossa
Faça uma homenagem ao seu Pet, acenda a Chama da Recordação, clique aqui.
 
Fósseis dão detalhes das origens de felinos, cães, ursos e mais

Fósseis dão detalhes de ancestral de diversos mamíferos - de gatos a ursos Foto: Charlène Letenneur (MNHN) e Pascale Golinvaux (RBINS) / Divulgação
Fósseis dão detalhes de ancestral de diversos mamíferos - de gatos a ursos
Foto: Charlène Letenneur (MNHN) e Pascale Golinvaux (RBINS) / Divulgação

Cientistas descobriram na Bélgica novos fósseis de um animal pouco conhecido e que pode ser ancestral de diversas espécies de mamíferos, como cães, gatos, ursos, entre outros. O Dormaalocyon latouri já era conhecido da ciência, mas os novos fósseis ajudam a entender melhor seu lugar na história dos carnívoros. O estudo foi divulgado nesta segunda-feira na publicação especializada Journal of Vertebrate Paleontology.

'Sua descrição permite um melhor entendimento da origem, variabilidade e ecologia dos primeiros carnivoraformes (como é chamado esse grupo de mamíferos)', diz Floréal Solé, líder do estudo e paleontólogo do Instituto Real Belga de Ciências Naturais. O Dormaalocyon faz parte do grupo de mamíferos placentários que se adaptou à dieta carnívora.

Os espécimes descobertos incluem mais de 250 dentes e ossos do tornozelo. Os novos achados incluem até dentes de leite, enquanto o anterior tinha somente dois dentes. E são os dentes, considerados muito primitivos, que colocar a espécie perto da origem desse grupo de mamíferos que, portanto, podem ter surgido na Europa.

Os tornozelos indicam que o Dormaalocyon vivia em árvores, se movendo pelos galhos. A reconstrução do ambiente onde a espécie vivia, há 55 milhões de anos, indica que era uma área úmida e arbórea. Esse período foi logo após o Máximo Térmico do Eoceno (PETM, na sigla em inglês), uma era de calor extremo que afetou a evolução de muitos mamíferos.

Solé acredita que como o Dormaalocyon viveria em árvores e os carnivoraformes fizeram seu caminha para a América do Norte por esse período, 'suporta a existência de um cinturão verde a altas latitudes durante o PETM.

O cientista diz ainda que o fóssil sugere que havia uma grande diversidade desse grupo de mamíferos em seu primórdio. O que indica que existem muitos achados a serem encontrados pelos paleontólogos.


Fonte: Terra Notícias - Publicado neste site em 31/01/2014