Translate       Traducir    
Boletim de Notícias
Boletim Eletrônico - N° 141
  
RECEBA AS NOTÍCIAS POR E-MAIL Cadastre seu E-mail
linhagrossa
Faça uma homenagem ao seu Pet, acenda a Chama da Recordação, clique aqui.
 

Xixi:  o perfil social dos cachorros

Por Natasha Romanzoti em 27.04.2011 as 23:37

Muitas pessoas sabem que os cachorros “marcam território” com urina. Foi o que concluiu uma nova pesquisa: ambos machos e fêmeas competem por status usando altura, ângulo de levantar a perna, localização e qualidade do seu xixi.

Estudos anteriores sobre cães haviam descoberto que fazer xixi em cima do xixi de outro cão era algo que apenas os machos faziam, e que a maioria fazia isso em resposta à urina feminina. Assim, a interpretação anterior era de que os cães machos faziam xixi para ocultar a urina feminina.

O novo estudo amplia essa compreensão. Na verdade, ambos os sexos “contramarcam” (urinam perto de outro xixi) ambos os sexos. A pesquisa também é a primeira a descobrir que “latir” (na verdade “zunir”, ou produzir um som agudo) perto de onde um outro cão urinou é feito mais por cães de alto status.

Os pesquisadores realizaram dois experimentos. Um envolveu a apresentação de urina de cães desconhecidos de várias raças a 48 cães com donos da raça labrador. Cada labrador foi guiado com uma coleira a um “traço de urina”. Ele poderia cheirar, latir ou não reagir ao xixi marcado.

No segundo experimento, os pesquisadores observaram as interações de cães em um parque, documentando 153 urinações e 199 investigações de urina (cheirá-las) de 87 cães machos e fêmeas de diferentes raças, castrados ou não.

Em ambos os experimentos, os pesquisadores também mediram a posição da cauda de cada cão, que estudos prévios haviam descoberto que era sinal de status; quanto mais alto o rabo de um cão é levantado, mais status ele tem.

A pesquisa descobriu que machos e fêmeas eram igualmente propensos a latir próximo ao xixi de um cão desconhecido. Cães com rabos altos/alto status, no entanto, eram muito mais ativos do que outros cães quando se tratava de cheirar a urina de outro cão, e contramarcá-la com seu próprio xixi.

Apesar de ambos os sexos contramarcarem, eles fazem um pouco diferente. Os homens são mais propensos a fazer xixi exatamente em cima da outra urina do que as fêmeas. Machos e fêmeas investigam urinas alheias, e os cães de mais status de ambos os sexos urinam e contramarcam. Alguns cães mais submissos, de baixo status, não contramarcam nenhuma urina ao visitar os parques para cães.

Os machos de alto status expostos a um lugar como um parque para cães são super ativos em marcar território. Eles não param após marcar o primeiro ou segundo ou terceiro xixi.

Segundo os pesquisadores, como os sinais químicos encontrados na urina do cão podem ser cheirados a partir de uma distância segura, pode ser que os cães sejam capazes de “resolver” relações por meio dessas marcas, antes de se encontrarem cara a cara. Por exemplo, a urina pode ajudá-los a decidir qual cão eles querem abordar.

O próximo passo da pesquisa é estudar outros aspectos da urina do cão, como de que forma a esterilização e a castração podem afetar a contramarcação como uma forma de comunicação.

Essa comunicação é importante, porque é possível que os cães sejam capazes de avaliar vários aspectos pessoais, de saúde, estresse, virilidade, dieta, apenas cheirando a urina de outro cão.

Ou seja, segundo os pesquisadores, a contramarcação é uma espécie de perfil do Orkut ou do Facebook da vida social do cão; uma forma de saber quem ele é, facilmente acessível a partir de uma distância segura

Fonte: Hype Science - Publicado neste site em 02/05/2011