Translate       Traducir    
Boletim de Notícias
Boletim Eletrônico - N° 1406
  
RECEBA AS NOTÍCIAS POR E-MAIL Cadastre seu E-mail
linhagrossa
Faça uma homenagem ao seu Pet, acenda a Chama da Recordação, clique aqui.
 
Treinar cães para salvar vidas

Demonstração do trabalho da ONG K9 de Creixell foi realizada na UPF (Universidade Passo Fundo)


A ONG K9 de Creixell e a Associação Voluntária com Cães de Busca e Resgate (Avoc-BR) têm como missão preparar cães para auxiliarem no salvamento de pessoas em catástrofes e outras situações de perigo. Membros dessas duas instituições estão em Passo Fundo nesta semana para participarem da 6ª Jornada Internacional Creixell, evento que amplia os conhecimentos e experiências dos condutores dos cães e promove uma avaliação das duplas. Na tarde de terça-feira, 19 de junho, seis participantes da jornada estiveram na Universidade de Passo Fundo (UPF) e explanaram a acadêmicos de Medicina Veterinária sobre o trabalho das instituições. Em uma atividade prática, os alunos puderam ver os cachorros em ação.

Sediada na Espanha, a ONG é presidida por Pedro Frutos, da cidade de Tarragona. Frutos já atuou, junto com seu cão, um pastor belga, em 12 eventos internacionais, entre terremotos, tsunamis e as enchentes ocorridas no Rio de Janeiro no ano passado. O presidente relatou que hoje a K9 de Creixell dispõe de 39 duplas de cães e guias espalhados por todo o mundo. “Uma vez acionados, temos condições de estar, em qualquer lugar do mundo, com seis cães e seis homens, em 24h”, explicou. Frutos lembrou ainda que o trabalho da ONG é resultado da colaboração e comprometimento de muitas pessoas, mas que seus membros precisam, com frequência, destinar recursos próprios para chegarem aos locais das catástrofes.

O treinamento

Reginaldo Aranda é o representante da ONG no Brasil e explicou como acontece o treinamento dos cães. “Desde poucos meses de idade os cachorros treinam de 1h a 1h30min por dia, todos os dias do ano”, relatou. O que estimula o trabalho dos cachorros é um brinquedo, que sempre que os animais encontrarem aquilo que estão sendo treinados para buscar, é oferecido a eles. Os cães podem ser treinados para a busca de drogas, explosivos e pessoas, com ou sem vida. Aranda explicou que os cães não têm contato com esses materiais durante o treinamento, mas com partículas que apresentam odores idênticos. Os cães também são condicionados a não tocarem no objeto de suas buscas. “Essa medida é importante para a segurança dos animais, principalmente com relação às drogas, explosivos e atuação em países muçulmanos, em que o cão é considerado um animal imundo”, explicou.

Estiveram na UPF, além de Frutos e Aranda, o presidente da Avoc-BR, Dartanhan B. Figueiredo, o integrante da ONG Ribamar Pereira, o integrante da Avoc Guilherme Rech e o policial passo-fundense Nilton Mello Aguirre, que há quatro anos vem treinando cães e deve ingressar na ONG. Participam, em Passo Fundo, na 6ª Jornada integrantes da K9 de Creixell do Brasil, representantes da Espanha, Portugal, Chile e Argentina, além de outros treinadores e cães de outras instituições. O diretor da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária Hélio Rocha, o professor Eraldo Zanella e o supervisor administrativo do Hospital Veterinário Hector Eduardo Garate acompanharam a atividade.




fonte: UPF - Publicado neste site em 15/12/2013