Translate       Traducir    
Boletim de Notícias
Boletim Eletrônico - N° 1287
  
RECEBA AS NOTÍCIAS POR E-MAIL Cadastre seu E-mail
linhagrossa
Faça uma homenagem ao seu Pet, acenda a Chama da Recordação, clique aqui.
 
Cachorro mais popular da cidade é vítima de agressão covarde

Agressor, que jogou uma pedra na cara de Billi, vai responder na justiça, por crime ambiental

Billi está bem, mas não deve voltar para a praça
Rio Grande do Sul - Um cão, há alguns anos, vem conquistando a simpatia dos caienses. Ele é um cachorro de rua, sem dono, mas tornou-se muito conhecido desde que adotou a praça central da cidade como sua residência.

Billi é muito simpático e comunicativo. Conquistou a todos com a sua mansidão e afetividade. Os moradores da vizinhança lhe dão comida, assim como os donos de lancherias, e ele tem passado muito bem. Gosta tanto de pessoas que as acompanha até quando elas vão à missa. E ninguém o expulsa de dentro do templo.

Ele gosta das pessoas e elas gostam dele. Mas, infelizmente, os humanos não são todos iguais.

Na última sexta-feira, as cinco da tarde, dois moradores da vizinhança estavam na praça, conversando e curtindo o sol. Billi, como de costume, deitou no piso, perto deles.

De repente apareceu um rapaz com uma grande pedra na mão. Sem dizer nada ele se dirigiu até onde estava o cachorro e atirou a grande pedra contra o animal indefeso.

Os dois homens ficaram espantados com o ocorrido e questionaram o agressor. Ele disse que Billi o havia derrubado naquela manhã quando ele passara pelo local com a sua moto.

Depois da pedrada, Billi saiu correndo do local e só foi encontrado no dia seguinte, na casa de uma moradora próxima.

A pedra atingiu Billi na cara e havia suspeita de que ele tivesse sofrido uma fratura no maxilar, pois a sua face ficou muito inchada.

O veterinário Rodrigo Maia dos Santos tratou dele e constatou que Billi sofreu laceração de pele, e um edema próximo ao olho e hemorragia nasal. Nada muito grave, felizmente. Na tarde de ontem ele já estava bem recuperado e com o mesmo espírito amistoso de sempre, brincando com o filho da sua protetora.

Mas os amigos de Billi não querem que ele volte para a praça. Pensam que seria muito perigoso. Se alguém quiser adotá-lo pode entrar em contato como o doutor Rodrigo, que saberá informar o nome da pessoa que o acolheu. Essa pessoa já tem muitos cachorros e gostaria de dar a outra família a alegria de conviver com esse cachorro tão especial.

Amigos do Billi levaram o caso à delegacia e o autor da agressão deverá responder na justiça pelo crime de agressão a animal, que faz parte da legislação ambiental.

Algum tempo atrás, Billi havia sido assunto de uma reportagem do Fato Novo na qual ele foi apresentado como guardião do templo, pelo hábito que tem de se postar na porta da igreja matriz.



Fonte: Fato Novo - Publicado neste site em 05/08/2013