Translate       Traducir    
Boletim de Notícias
Boletim Eletrônico - N° 1106
  
RECEBA AS NOTÍCIAS POR E-MAIL Cadastre seu E-mail
linhagrossa
Faça uma homenagem ao seu Pet, acenda a Chama da Recordação, clique aqui.
 
Castração química em cães evita cirurgia

  
O abandono de animais é um problema que vem crescendo em todas as cidades afetando a população como um todo. 

Considerado crime, as autoridades vêm tentando converter esta situação há algum tempo, procurando soluções para amenizar o transtorno.

Parte da solução passa pela realização de campanhas de castração, muito utilizadas em grandes centros urbanos, porém o difícil é conscientizar a população que reage a este tipo de solução, devido ao grande investimento, além de possuir uma recuperação dolorosa e demorada para os animais.

Segundo o veterinário técnico responsável pela Rhobifarma, Ricardo Lucas, o laboratório criou um medicamento, único no mercado brasileiro, que transforma o procedimento da castração cirúrgica, em uma esterilização indolor, sem cortes, sem anestesia geral e curativos, evitando complicações típicas de um pós-operatório. 

“É o método desenvolvido para auxiliar no controle populacional de cães, existe em outros lugares do mundo e vem sendo desenvolvido há mais de 20 anos em várias regiões. A finalidade é castrar os cães sem a necessidade da cirurgia, de uma maneira mais rápida, pratica e mais barata do que o procedimento cirúrgico”, explicou o veterinário.

A castração química, segundo Lucas, acontece através de uma injeção que é aplicada no animal.

“Primeiro você aplica um anti-inflamatório no animal e em seguida com uma agulha bem fininha e injetado no cão um pouco de produto nos testículos, isso pode ser feito sem a necessidade de anestesia geral, não existe ponto”, informou.

A castração só pode ser realizada nos cães machos de qualquer raça e devem estar saudáveis, ou seja, os animais precisam estar em condições clínicas normais para passar pelo procedimento.  

“Já realizamos castrações em cães de três meses até 15 anos. É importante lembrar a ausência de dor para o animal e também evita o pos cirúrgico. Esse método e bastante utilizada em prefeituras que não possuem estrutura para procedimentos cirúrgicos”, disse.

Atualmente mais de 50 prefeituras no país utilizam do método e cerca de 50 mil cães já passaram pelo procedimento.


Fonte: O Regional - Publicado neste site em 02/04/2013