Translate       Traducir    
RECEBA AS NOTÍCIAS POR
E-MAIL
Cadastre seu Endereço aqui
News Criador On-line
Boletim Eletrônico - N° 942 - #3
  
-
Software Animal Manager, essencial para seu negócio prosperar, acesse aqui.
 
• Caso não esteja visualizando o texto deste boletim, acesse: www.criadoronline.com.br/boletim
• Para remover seu endereço de nossa lista acesse aqui
O polêmico gato rosa do Parque São Geraldo
Churiço, um bichano, desapareceu de casa e deu o que falar na internet porque ele tem pelos tingidos 

CAMILA TURTELLI

Hoje em dia, uma das primeiras providências que as pessoas tomam ao perceber o sumiço do seu animal de estimação é publicar um anúncio sobre isso na internet. E foi o que a estudante de enfermagem Stefanny Mayra fez quando notou a falta do seu gato Churiço. 

Ela já estava até acostumada. Afinal,  Churiço, de 4 anos, já havia sumido duas outras vezes. Em pouco tempo, a mensagem da estudante se espalhou como rastro de pólvora na internet, porém, com uma repercussão inesperada para ela.  “Acho que o gatinho ficou traumatizado e fugiu”, comentou um internauta. “Quem o encontrar, não o devolva para a dona”, dizia uma postagem. Estes e outros muitos comentários que apareceram sobre Churiço no Facebook protestavam pelo fato de Stefanny ter pintado o gato de cor-de-rosa. 

Sim, Churiço é um gato artificialmente cor-de-rosa. Desde que ela o adotou e que ele tinha idade suficiente para tomar banhos, o bichano passou a ser tingido. Naturalmente, ele tem a pelagem toda branca, o que facilita a adesão de qualquer outra cor fantasia. 
Para chegar à coloração pretendida, a estudante usa folhas de papel crepom. “Ele nunca teve reação alérgica”, afirma Stefanny. 

Segundo a médica veterinária Ana Lúcia Geraldi, a técnica da estudante não é prejudicial à saúde de Churiço. “Não atinge a mucosa e dificilmente poderá causar alguma reação ao animal. O que não pode é usar tintas que tenham amônia”, conta. “Porém, atualmente há no mercado tintas específicas para pets que são mais indicadas quando alguém quer tingir um animal”, recomenda a veterinária. 

Ou seja, de acordo com a veterinária, não há danos à saúde do gato, e o que resta é um julgamento, digamos assim, moral ou psicológico sobre a questão de se tingir animais. “Ele tem comida, é bem tratado, vacinado, vermifugado, tem todo o carinho e a tinta não agride ele. 

Não tem nada a ver as pessoas dizerem que eu o maltrato”, protesta a estudante. “Todo mundo adora ele pelo bairro. As pessoas param para tirar foto com ele”, conta Stefanny. Ela diz ainda que por chamar muita atenção o gato já foi levado de casa outras vezes. Uma vez, ela, que mora no Parque São Geraldo, o encontrou no Jardim TV (cerca de 6 quilômetros de distância).“Já vi também criança colocando ele no carrinho de bebê para levá-lo para um passeio”, completa. 

É certo que a polêmica sobre tingir ou não a pelagem dos animais de estimação é grande e passa também por outros setores, como por exemplo, o uso excessivo de acessórios em cães e gatos. E enquanto Churiço continuar desaparecido, Stefanny ainda vai  ter de debater muito a questão com protetores de animais e outros interessados no caso pela internet.

Tinta dura até 3 meses e sai com o tempo

O período de espera para a fixação de uma tinta especial para pet é entre 20 e 25 minutos, fora a etapa de aplicação (feita com o pincel), o banho e a secagem. A coloração pode durar de 2 a 3 meses e desbota aos poucos.

R$ 40 
É o valor mínimo do procedimento, realizado em pet shop, de tintura de um cachorro de porte médio

Riscos vão de coceira até intoxicação

O animal pode desenvolver uma reação alérgica após a aplicação e também ter coceira. Nesses casos é preciso procurar um veterinário.


Fonte: Bom Dia - Publicado neste site em 24/11/2012


 

Veja mais notícias em nosso site, acesse: www.criadoronline.com.br/news
 

-
O "News Criador On-line" é enviado a pessoas cadastradas ou indicadas. Se não deseja recebe-lo, ou considera que foi cadastrado indevidamente, por favor, clique aqui para remover