Translate       Traducir    
RECEBA AS NOTÍCIAS POR
E-MAIL
Cadastre seu Endereço aqui
News Criador On-line
Boletim Eletrônico - N° 1638 - #3
  
-
Software Animal Manager, essencial para seu negócio prosperar, acesse aqui.
 
• Caso não esteja visualizando o texto deste boletim, acesse: www.criadoronline.com.br/boletim
• Para remover seu endereço de nossa lista acesse aqui
Facebook ainda é o melhor amigo de um cachorro

Facebook ainda é o melhor amigo de um cachorroFacebook diz que milhares de abrigos de animais e grupos de resgate na plataforma usam suas ferramentas de captação de recursos. Muitos dos grupos são dedicados a uma região específica ou raça de cães.

A rede social de Mark Zuckerberg é bombardeada pelos mais diversos motivos, mas abrigos de animais e organizações de resgate não conseguem viver sem ela.

O último ano foi horrível para o Facebook. Sob um fluxo interminável de escândalos envolvendo privacidade do usuário, violação de dados, discursos de ódio e notícias falsas. Os governos dos Estados Unidos e da União Européia questionaram seus executivos em audiências públicas e até mesmo uma campanha foi realizada para 'Excluir o Facebook'.

Mas, por outro lado, nem todo mundo segue a mesma linha de pensamento em relação a rede social Facebook. Isso porque para abrigos de animais e organizações de resgate em particular, o Facebook é uma ferramenta inestimável. O vasto alcance da rede social (2 bilhões de usuários), versatilidade e acessibilidade ( grátis) permite que eles ajudem mais animais do que antes. E eles não estão prestes a desistir. '[As mídias sociais] nos permitem fazer muito para ajudar os animais', diz Kymberlie Adams, diretor de mídia social da ASPCA. 'Isso salva vidas ... não podemos fazer negócios sem isso.'

Linda Beenau é a fundadora e diretora do Wonder Dog Rescue, a organização sediada em San Francisco. Beenau tem ajudado cães por 28 anos. Ela cita em relação ao Facebook 'É um bem maravilhoso. Ao promover cães adotáveis, é melhor usar algo com um visual em vez de apenas enviar um email, que pode não ser aberto'.

Wonder Dog não está sozinho. Um estudo de setembro da ASPCA descobriu que 76% dos abrigos e organizações de resgate pesquisados ​​disseram que seu uso de mídia social aumentou no ano passado, com o Facebook sendo citado como a plataforma mais eficaz para aumentar as adoções. Sessenta e seis por cento disseram que a mídia social aumentou os níveis de arrecadação de fundos e 56% disseram que isso os ajudou a ter mais sucesso ao colocar animais idosos ou pessoas com necessidades especiais.
Beenau e um colega usam principalmente o Facebook, Instagram e Twitter para postar fotos e perfis curtos de cães disponíveis para adoção. Enquanto o Instagram é mais adequado para um público mais jovem, as postagens no Facebook com histórias mais longas sobre animais disponíveis e solicitações de angariação de fundos obtêm a maior taxa de resposta.

Aplicativos como PetFinder e WeRescue (ambos gratuitos no iOS e Android) também são ferramentas valiosas. Embora o Wonder Dog ainda publique cães em seu próprio site e realize eventos regulares de adoção na área da baía de São Francisco, ambos os métodos exigem que as pessoas o procurem. Mas o Facebook serve como um portal eficaz, entregando perfis de cachorro diretamente no feed de alguém, mesmo quando eles estão olhando fotos das férias de um amigo.

A mídia social 'permite que as pessoas encontrem cães que querem de qualquer lugar', diz Beenau. 'Se eles querem conhecer um cão específico que viram on-line, então eles vão a um evento de adoção.' Cães de resgate, ou cães que são menos propensos a serem adotados por causa da idade ou problemas de saúde, têm se beneficiado mais. Como a maioria dos abrigos concentra seus limitados funcionários e recursos em cuidar e promover os animais mais adotáveis, eles podem usar o Facebook para trabalhar em rede com organizações de resgate capazes de enfrentar os casos mais difíceis.

Foi o que aconteceu com Clara que foi abandonada em Fresno, na Califórnia. Meu marido encontrou seu perfil e apelo no Facebook no início de julho depois de gostar da página da Wonder Dog. Nós a pegamos no dia seguinte e não pude resistir a adotá-la para sempre depois de algumas semanas. 'O Facebook tem esse imediatismo', diz Beenau. 'Se alguém postar um cachorro em nossa página no Facebook, eu posso não ser capaz de salvá-lo, mas posso compartilhá-lo com um clique.' Ainda assim, Beenau diz que Wonder Dog é cuidadoso em não confiar demais nas mídias sociais. Nem todo mundo que quer adotar um cachorro o usa e o alcance de uma plataforma como o Facebook pode sair pela culatra. 'Se trouxermos um cão desejável, especialmente certos cães de raça pura ou cachorros pequenos e fofos, as pessoas pulam sobre eles.'


Fonte: OficinaNet - Publicado neste site em 17/01/2019

 

Veja mais notícias em nosso site, acesse: www.criadoronline.com.br/news
 

-
O "News Criador On-line" é enviado a pessoas cadastradas ou indicadas. Se não deseja recebe-lo, ou considera que foi cadastrado indevidamente, por favor, clique aqui para remover